Novo Circo

NOVEMBRO 2021

CINETEATRO | CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Onde está o limite extremo do equilíbrio, esse instante perfeito em que as leis da gravidade parecem não existir? Onde estará o limite das nossas capacidades?
Por vezes alcançamos esse limite, outras vezes não. Às vezes conseguimos superar, outras vezes não. Por vezes caímos e outras vezes não. Gostamos de ambos os lados, é Ovvio.

Ovvio é um encontro entre duas personalidades opostas que têm dentro de si a mesma necessidade de risco, o desejo irresistível de descobrirem até onde pode chegar a física até que a causalidade os derrote. Onde se encontra o momento de perfeição antes da queda? O “jogo” é forma que têm de procurar esse limite e a confiança é o cordão necessário que os une e os impulsiona.

Em cena temos duas personagens e uma arquitectura de pranchas de madeira. Uma imagem surrealista e minimalista ao mesmo tempo e uma estética elegante na qual se desenvolve um jogo extremo: a procura dos limites do equilíbrio entre os corpos e as construções geradas com as pranchas de madeira.

David e Tomas são dois artistas de circo especializados em equilíbrios e manipulação de objetos. Depois de terem passado, em 2016, pela Escola Profissional Cirko Vertigo com Veronica Capozzoli, Léa Legrand y Carla Carnerero, fundam a companhia Kolektiv Lapso Cirk. Desenvolvem uma linguagem artística e técnica que procura aquilo que é extraordinário dentro daquilo que vemos como comum.

https://youtu.be/iaONk8XIMlk

Artistas: Tomas Vaclavek e David Diez Mendez; Produção: Kolektiv Lapso Cirk
Direção e olhar exterior: Francesco Sgrò, Morgan Cosquer, Jorge Albuerne
Música original: Gabriele Mitelli e Nicola Di Croce; Desenho de luz: Flavio Cortese; Difusão: Jordi Fàbregas – 23arts; Com a colaboração de: Cirko Vertigo, Cirqueon, Festival Mirabilia, Gruppo Jobel, Hangar Creatività, Jatka78, Kolektiv Lapso Cirk, La Central del Circ, La Central del Circ, La Corte Ospitale, Maciva, Piemonte dal Vivo, Plum Yard, Teatro Circo Price, Teatro Nucleo.

Bilhetes: Normal - 5€; C/ Cartão Municipal – 2,5€


OUTUBRO 2021

NOVO CIRCO || RESIDÊNCIA ARTÍSTICA

CINETEATRO |CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Simulacro vive num espaço em que tudo pode vir a ser material de criação.
Através de um conjunto de ações duracionais, propomos a construção de paisagens sonoras e imagéticas ficcionais, pondo em causa conceitos como originalidade ou inventividade. Simulacro faz-se assim de imagem, reiteração, memória, gesto e arquivo.

Criação e Interpretação: Margarida Montenÿ e Carminda Soares; Música original: Antonio Marotta; Apoio à residência: Salto - International Circus School, Teatro Universitário do Porto, Colecção B; Apoios financeiros: Republica Portuguesa- Cultura/ DGArtes - Direcção Geral das Artes; Outros apoios : Sicor S.A,; Duração: 50 minutos; Classificação etária: 3+
A estreia do projeto está prevista para Fevereiro de 2022 no Teatro das Figuras.

Esta Residência Artística realiza-se no âmbito da FICHA TRIPLA, promovida por Produção d’Fusão, com o apoio do Município de Seia e DGArtes.

Dia 2 _ 18h00 – Exercício aberto à comunidade


JULHO 2021

LARGO DA CÂMARA

Através de um espetáculo de circo, dois intérpretes utilizam a acrobacia aérea como técnica para procurarem continuamente o equilíbrio entre dois corpos, usando uma corda solta com duas pontas a 7 metros de altura. Esta corda, este fio impermanente e inconstante, altera a perceção do espectador sobre os corpos em cena. Partimos desta corda que enforca a necessidade de algo mais do que uma simples conexão. Dependemos desta ligação, desta corda que nos suspende e que nos prende. Que nos amarra, mas nos segura. Qualquer ação desencadeia uma consequência no estado do outro, e é esta dependência que nos obriga a confiar no outro.

Direção Artística: Daniel Seabra; Cocriação e interpretação: Daniel Seabra e Margarida Montenÿ; Música original: Miguel; Produção executiva: Teresa Camarinha; Técnico montagem e operação: Luís Ribeiro; Residências: Teatro Municipal do Porto | salto; Direção artística Erva Daninha: Julieta Guimarães e Vasco Gomes; Produção: Erva Daninha; Coprodução: Teatro Municipal do Porto; Apoio: República Portuguesa – Cultura / Direção Geral das Artes

Entrada livre!