Núcleo de Música da AAIS

Concurso de Piano da Serra da Estrela - Seia


Júri

Paulo Oliveira - Presidente

Paulo Oliveira (n. 1979) é natural de Vila do Conde e iniciou os seus estudos musicais com aos nove anos com Joaquim Bento. Ingressou posteriormente na Academia de Música de S. Pio X como bolseiro da Fundação Dr. Elias de Aguiar, onde estudou com Margarida Almeida e Felipe Silvestre, tendo finalizado o Curso Complementar de Piano em 1998 com a classificação máxima. Posteriormente estudou com Tania Achot, concluindo o Curso Superior de Piano na Escola Superior de Música de Lisboa.

Continuou a sua formação com Sequeira Costa na Universidade do Kansas, onde concluiu os seu mestrado em 2005, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Posteriormente, em 2009, concluiu com distinção o seu doutoramento com uma bolsa de estudos da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Outros professores relevantes na sua formação foram Helena Sá e Costa, Luiz de Moura Castro, Andrei Diev, Vladimir Viardo, Vitaly Margulis, Aldo Ciccolini, Paul Badura-Skoda e Dmitri Bashkirov.

Foi distinguido com diversos prémios em concursos nacionais e internacionais, destacando-se o prémio que obteve no Concurso Internacional de Piano Vianna da Motta", o 1.º prémio no Concurso Internacional Bartók-Kabalevsky-Prokofiev, o 2.º prémio no Concurso de Interpretação do Estoril | Prémio El Corte Inglés e o 1.º prémio no Festival Jovens Pianistas 2010 - Prémio Chopin, organizado pela Orquestra Metropolitana de Lisboa. Foi ainda vencedor da Kansas University Symphony Orchestra Concerto Competition. O duo que mantém com a violoncelista Teresa Valente Pereira foi premiado num recital realizado no Palau de la Música Catalan" em Barcelona.

Paulo Oliveira tem-se apresentado a solo, com orquestra e em música de câmara em Portugal, Espanha, Andorra, Itália, França, Reino Unido, Polónia, Brasil, Estados Unidos da América, e gravou para a RDP - Antena 2, Radio France e Catalunya Ràdio.

Tocou a solo com a Orquestra Sinfónica da Universidade do Kansas, Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra do Algarve, Orquestra do Norte, Orquestra Metropolitana de Lisboa e Orquestra Sinfónica Portuguesa, sob a direção dos maestros Nicholas Uljanov, Steven McDonald, Pedro Neves, Ferreira Lobo, Cesário Costa e Daniel Klajner.

Paulo Oliveira concilia a sua atividade concertística com o ensino. Foi professor de piano no Conservatório Nacional em Lisboa, na Escola Profissional Metropolitana e é atualmente docente no Instituto Piaget, na Escola de Música de Nossa Senhora do Cabo e no Conservatório de Música da Metropolitana. Tem sido regularmente convidado a orientar masterclasses e integrou por diversas vezes júris de concursos de piano.

É membro fundador da delegação portuguesa da European Piano Teachers Association.

Fonte: https://www.metropolitana.pt/Corpo-Docente-5310.aspx?itemId=Staff:642


Jill Lawson

A pianista Jill Lawson nasceu no México em 1974 e iniciou a sua formação em piano aos oito anos de idade e estudou, entre outros locais, em Antuérpia e Amesterdão com Jan Wijn e obteve o Mestrado em música no Peabody Institute em Baltimore com Leon Fleisher e Ellen Mack. Depois disso seguiu masterclasses com diversos pianistas consagrados, entre os quais Dimitri Bashkirov e Maria João Pires.

Recebeu diversos prémios e condecorações durante a sua vida profissional. O início da sua carreira teve um impulso extraordinário graças à conquista do segundo lugar no Concurso Internacional Vianna da Motta e seguiram-se atuações por todo o mundo.

Para além das atuações como solista com orquestras internacionais de renome, a sua paixão é também a música de câmara. Juntamente com o seu irmão, faz parte do duo Lawson & Lawson e trabalha também regularmente com diversos cantores. É docente na Escola Superior de Artes Aplicadas em Castelo Branco onde lecciona piano e o curso reportório para cantores.

Após um recente período de acalmia que lhe permitiu aprofundar mais as suas capacidades, Jill prepara-se agora para regressar aos palcos internacionais, tendo já programadas gravações de CDs com a obra da câmara de António Fragoso e o integral das Sonatas para violino e piano de Paul Hindemith para as editoras Brilliant Classics e Fuga Libera.

Fonte: https://jilllawson.com/pt/home.html


João Bettencourt da Câmara

João Bettencourt da Câmara nasceu em Lisboa, em 1988 e iniciou os seus estudos em piano aos três anos de idade com o seu pai. Em 2006 concluiu, com a classificação máxima, o Curso de Piano no Conservatório Nacional e os estudos de ensino secundário no Colégio do Sagrado Coração (Lisboa). Em Portugal estudou ainda com V. Viardo, H. Sá e Costa, T. Achot, Sequeira Costa, A. Pizarro, P. Burmester, D. Bashkirov, G. Eguiazarova e A. Ciccolini.

Recebeu, entre outros, os 1ºs prémios no Concurso Cidade do Fundão (1999 e 2000) e Concurso Maria Cristina Lino Pimentel (2001); 2º Prémio no Concurso de Piano Florinda Santos (1998); Prémio Especial do Júri no II Concurso "Veo Veo" Internacional da Radiotelevisão Espanhola (1999).

Deu o seu primeiro recital público aos sete anos de idade e estreou-se como solista aos doze, executando o Concerto K. 414 de Mozart e, poucos meses depois, o Terceiro concerto de Beethoven, com a Filarmonia das Beiras.

Com dezassete anos, prestou provas de admissão a três escolas superiores de música em Londres (Royal College of Music, Guildhall School of Music and Drama e Royal Academy of Music), após as quais lhe foi oferecido um lugar em todas elas. Optou pelo Royal College of Music, que lhe atribuiu o estatuto de "Foundation Scholar" e que frequentou durante quatro anos como aluno de piano de Ruth Nye, um dos discípulos de Claudio Arrau. Obtendo sempre elevadas classificações ("First Class Honours"), licenciou-se em 2010 com uma das melhores classificações da história do RCM, pelo que recebeu o Sarah Mundlak Memorial Prize For Piano, atribuído ao melhor finalista do ano. Para o mestrado, foi novamente admitido nas mesmas escolas londrinas, escolhendo desta feita a Guildhall School (City University), onde concluiu o curso com distinção como aluno do pianista Martin Roscoe.

Em recitais e concertos em Portugal, Inglaterra, França e Espanha, vem-se afirmando como intérprete do grande repertório clássico (Bach, Mozart, Beethoven), romântico (Liszt, Chopin, Brahms, Rachmaninoff) e moderno (Debussy, Prokofieff). O seu primeiro disco comercial, consagrado a algumas das maiores obras de Liszt, foi recentemente editado pela Numérica. Desde 2013, é docente de Piano na Universidade de Aveiro, onde concluiu o seu doutoramento.