MAIO 2017

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

Ciclo de Cinema InTEMPOralidade(s)

Jean Cocteau - artista multifacetado que se notabilizou, na primeira metade do século XX, como poeta, dramaturgo e cineasta (entre várias outras artes!) - afirmava: "É preciso ser um homem do seu tempo e um artista póstumo". Com efeito, o artista não vive do passado nem vive para o futuro: habita o tempo presente e a sua obra é o reflexo do seu tempo. Por isso é intemporal. O ciclo de cinema que o 7A SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia propõe para Maio e Junho, integrado no Festival ARTIS - Festival de artes de Seia, procura ilustrar esta relação entre o artista, a obra e o seu tempo: Pablo Neruda, Paula Rego, David Lynch, Iggy Pop - 4 filmes, 4 artes, 4 obras que captam o zeitgeist da sua época e a marcam de forma indelével.

Celebremos as ARTES em festa!

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Chile, 1948. No Congresso, o senador Ricardo Eliécer Neftalí Reyes Basoalto (Luis Gnecco) - também conhecido por Pablo Neruda, o seu pseudónimo literário - critica ferozmente o Governo e a sua repressão anticomunista. Por esse motivo, o presidente Gabriel González Videla (Alfredo Castro) exige a sua destituição imediata e inicia uma perseguição. Neruda e a mulher, a pintora Delia del Carril (Mercedes Morán), refugiam-se sob nomes falsos no sul do país. No seu encalço, para onde quer que se movam, têm o temível inspector Óscar Peluchonneau (Gael García Bernal). Esta perseguição acaba por se transformar num jogo quase divertido, em que Neruda deixa pistas ao seu inimigo, à medida que se reinventa como personagem literária e também como símbolo de liberdade...

Realização: Pablo Larraín; Intérpretes: Gael García Bernal, Luis Gnecco, Mercedes Morán; Género: Drama, Biografia; Classificação: M/ 12 anos; Duração: 107 minutos

Entrada Livre

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Maria Paula Figueiroa Rego nasceu em Lisboa, a 26 de Janeiro de 1935. Iniciou os estudos no Colégio Integrado Monte Maior, em Loures, seguindo para a St. Julian's School, em Carcavelos. Revelou, desde muito cedo, um grande talento para as artes.
Incentivada pelo pai, partiu para Londres, onde estudou na Slade School of Fine Art, até 1956. Ali conheceu o pintor Victor Willing (1928-1988), com quem veio a casar. No início da década de 1970, com a falência da empresa familiar, vende a quinta da Ericeira, onde morava, e radica-se em Londres com o marido e os três filhos: Victoria, Caroline e Nick Willing (o realizador deste filme). Em 2014, Nick sentou-se com a mãe, então com 80 anos, e durante um período dois anos ouviu o que ela tinha para contar. Com isso, fez um filme. "Eram histórias que eu nunca tinha ouvido, que explicam muito da minha vida e da dela, de uma maneira que me fez entender várias das suas obras", explica. "O meu filme não é sobre a artista, é sobre a pessoa", sublinha. "O que acontece é que ela foi sempre artista primeiro, pessoa depois e mãe em terceiro. Eu queria descobrir a pessoa por trás da pintora." Conta que a mãe "foi sempre um grande mistério" e que quando, na tal conversa que veio a resultar neste filme, ela abriu uma porta para o seu mundo, ele aproveitou para fazer todas as perguntas que guardava.

Título original: Paula Rego, Secrets and Stories; Realizador: Nick Willing; Género: Documentário; Ano: 2017; Cores; Duração: 92 min.

Entrada Livre

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

David Lynch leva-nos numa viagem íntima pelos seus anos de formação, desde a infância idílica numa pequena cidade dos Estados Unidos, até às ruas escuras de Filadélfia, identificando os momentos que moldaram um dos realizadores mais enigmáticos do cinema. David Lynch: The Art Life retrata a arte, a música e os primeiros filmes de Lynch, trazendo luz à escuridão do seu mundo único, dando aos espectadores um conhecimento mais aprofundado do homem e do artista. Como Lynch refere "Acho que sempre que se faz algo, como uma pintura ou qualquer coisa do género, vai-se com uma ideia e por vezes o passado pode invocar essas ideias e colori-las e, ainda que sejam novas ideias, o passado dá-lhes cor." Somos convidados a entrar e é nos dado a conhecer o estúdio de Lynch nas montanhas acima de Hollywood, enquanto este nos conta histórias pessoais do seu passado que se desenrolam como cenas dos seus filmes. Alguns personagens estranhos são destacados, para novamente se desvanecerem, deixando uma marca permanente em Lynch enquanto artista. Testemunhamos os medos, os equívocos e lutas que Lynch supera e pelo caminho conhecemos as várias pessoas que o ajudaram a moldar. Torna-se evidente no início da vida de Lynch que este vê o mundo de forma diferente, absorvendo as suas sombras e tecendo um sonho, como se de uma tapeçaria se tratasse, onde a sua audiência mundial se emaranha. Este filme é dedicado à filha mais nova de Lynch como um memorial privado de um pai para uma filha. Ao afastar as cortinas do ícone esperamos revelar David Lynch enquanto indivíduo.

Título original: David Lynch: The Art Life; Realizador: Jon Nguyen, Olivia Neergaard-Holm, Rick Barnes; Ano: 2016; País: EUA, Dinamarca; Duração: 93 minutos

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Nascidos no Michigan, em 1967 - ainda sob o nome de The Psychedelic Stooges -, The Stooges foram uma banda norte-americana que fez história pela singularidade artística. Apesar do pouco êxito comercial na altura do lançamento, os seus primeiros discos - "The Stooges" (1969), "Fun House" (1970) e "Raw Power" (1973) - vieram a ter um grande impacto no panorama musical do final dos anos 1970. Após o desmembramento da banda, em 1975, Iggy Pop, o enérgico vocalista, ainda hoje conhecido como "o padrinho do punk", seguiu uma carreira a solo e tornou-se um verdadeiro ícone do rock.
Através de entrevistas e imagens de arquivos, Jim Jarmusch - o aclamado realizador de "Noite na Terra", "Homem Morto", "Café e Cigarros", "Broken Flowers - Flores Partidas", "Os Limites do Controlo" ou "Só os Amantes Sobrevivem" - parte do título de um dos temas mais conhecidos da banda e constrói um documentário sobre a obra, a trajectória e o impacto que teve na cultura musical.
PÚBLICO

Título original: Gimme Danger; Realizador: Jim Jarmusch; Género: Documentário; Classificação: M/12; País: EUA; Ano: 2016

Entrada Livre

ABRIL 2017

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

Ciclo de Cinema A NOITE EM NÓS

O Homem é naturalmente bom, é a sociedade que o corrompe. A frase é do filósofo Jean-Jacques Rousseau (cuja obra está umbilicalmente ligada à Revolução Francesa) e dá o mote para o ciclo de cinema que o 7A SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia propõe para o mês de todas as liberdades. SÃO JORGE (Marco Martins) e O VENDEDOR (Asghar Farhadi) salientam, de forma muito distinta, a corrupção moral de dois homens intrinsecamente bons: dois homens que, perante circunstâncias adversas da vida, se vêem obrigados a transgredir o seu quadro de valores morais, a transfigurar-se e a revelar o seu lado mais sombrio, a revelar A NOITE EM NÓS.
LIBERDADE para ser!

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Jorge, boxeur, desempregado, corre o risco de perder o seu filho e a sua mulher, quando esta decide regressar ao Brasil. Em desespero, aceita trabalho numa empresa de cobranças difíceis. Ironicamente, Jorge passa a intimidar aqueles que, como ele, se vêem a braços com dívidas que não conseguem pagar. Impele-o a fé numa vida melhor para a sua família, mesmo quando se vê empurrado para um caminho de marginalidade.

in http://www.cinemas.nos.pt/

Realização: Marco Martins; Argumento: Ricardo Adolfo, Marco Martins; Produção: Filmes do Tejo, Les Films de l'Après-midi; Fotografia: Carlos Lopes; Montagem: Mariana Gaivão; Som: Olivier Blanc, Hugo Leitão; Ano Produção: 2016; Duração: 112'; Género: Drama; Classificação: M/14;

Entrada Livre

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Obrigados a abandonar o seu apartamento no centro de Teerão devido a umas obras que ameaçam fazer ruir o prédio, Emad e Rana mudam-se para uma nova casa. Um incidente relacionado com a anterior inquilina vai perturbar a vida do jovem casal.

in http://alambique.pt/

Realização: Asghar Farhadi; Argumento: Asghar Farhadi; Montagem: Hayedeh Safiyari; Fotografia: Hossein Jafarian; Música: Sattar Oraki; Som: Yadollah Najafi, Hossin Bashash; Decoração: Keyvan Moghadam; Ano Produção: 2016; Duração:125'; Género: Drama, thriller; Classifificação: M/12;

Entrada Livre

MARÇO 2017

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

Ciclo de Cinema EME (A Mulher e o Cinema)

Eme. Eme de março, mês da mulher. Eme de mãe e menina e moça, eme de todas as idades, da mocidade em constante mutação à maturidade magnânima. Eme de maria, mas também de maria madalena. Eme de méritos merecidos tantas vezes menosprezados. Eme de motriz - força motriz da mudança num mundo maniqueísta, pleno de mentira e meias palavras, de maldade e mal-entendidos (entre mil outros males!). Eme de manifesto em defesa da mulher manipulada, maltratada, menosprezada e menorizada - menos, muito menos! Eme de missão pelos mesmos direitos e oportunidades, por uma mulher moderna e emancipada - mais, muito mais!
Eme de mulher, da mulher no cinema - ontem, hoje e amanhã!

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Dia 23 - 21:30H

ELA

Michèle parece indestrutível. Responsável de uma grande empresa de jogos de vídeo, ela gere os seus compromissos como a sua vida sentimental: com mão de ferro. A sua vida transforma-se no dia em que é agredida em sua casa por um misterioso desconhecido. Quando consegue descobrir o rasto desse homem, ambos entram num estranho e excitante jogo - um jogo que, a qualquer momento, pode ficar fora de controlo.

in http://www.midas-filmes.pt/

Realização: Paul Verhoeven; Argumento: David Birke (baseado no romance "Oh…", de Philippe Djian); Produção: Saïd Ben Saïd e Michel Merkt; Montagem: Job Terburg; Fotografia: Stéphane Fontaine; Música: Anne Dudley; Som: Jean-Paul Mugel, Alexis Place, Katia Boutin, Cyril Holtz; Decoração: Laurent Ott; Ano Produção: 2016; Duração: 130'; Género: Comédia, drama, thriller; Classificação: M/16;

http://www.festival-cannes.com/

Entrada Livre

FEVEREIRO 2017

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

Ciclo de Cinema VIVER!

Esta vida são dois dias. Carpe diem. No tomorrow. Independentemente da língua ou da cultura, são inúmeras as expressões que nos incitam a aproveitar as coisas boas da vida em face da incerteza do amanhã, a viver a vida como uma aventura, apreciando cada momento. Em mês de Carnaval - época de "salutares excessos" - o 7A SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia traz para a tela duas obras bem-humoradas que, cada qual à sua maneira, materializam esta forma de ser, estar e sentir, tão própria do sul da Europa. Duas obras que nos recordam a urgência de viver o presente. Um mar que nos une, numa saudavelmente louca vontade de viver!
Viva a vida!

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Primavera em tempos de Guerra. Todos os dias, o leiteiro atravessa a fronteira de burro, lançando balas para levar as suas preciosas mercadorias aos soldados. Abençoado pela sorte na sua missão, amado por uma bonita aldeã, um futuro tranquilo parece aguardá-lo... Até que a chegada de uma misteriosa mulher italiana vira a sua vida de pernas para o ar. Esta é uma história de paixão e amor proibido, que os levará numa série de fantásticas e perigosas aventuras. Unidos pelo destino, nada nem ninguém parecem poder pará-los. Vencedor de duas Palmas de Ouro do Festival de Cannes, Emir Kusturica realiza e dirige esta história de amor e guerra, recheada de emoção, comédia e aventura.

in http://www.midas-filmes.pt/

Realização: Emir Kusturica; Argumento: Emir Kusturica; Produção: Paula Vaccaro, Alex Garcia, Lucas Akoskin, Emir Kusturica; Fotografia: Goran Volarevic, Martin Šec; Montagem: Svetolik Mica Zajc; Música: Stribor Kusturica; Som: Novica Jankov, Aleksandar Perovic; Decoração: Goran Joksimovic; Guarda-roupa: Nebojša Lipanovic; Ano Produção: 2016; Duração: 125'; Género: Drama

Entrada Livre

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Beatrice é uma mentirosa compulsiva e uma tagarela de porte exuberante. Donatella é uma jovem tatuada, frágil e introvertida. Residentes na Villa Biondi, uma instituição terapêutica para mulheres que padecem de problemas mentais, estas duas mulheres ficam amigas. Uma tarde, resolvem fugir, decididas a encontrar um pouco de felicidade no manicómio ao ar livre também conhecido por mundo de gente "sã".

in http://alambique.pt/

Realização: Paolo Virzì; Argumento: Francesca Archibugi, Paolo Virzì; Produção: Marco Belardi; Montagem: Cecilia Zanuso; Fotografia: Vladan Radovic; Música: Carlo Virzì; Som: Alessandro Blanchi; Decoração: Tonino Zera; Guarda-roupa: Catia Dottori; Ano Produção: 2016; Duração: 118'; Género: Comédia, drama

Entrada Livre

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

Já há vários anos que o cinema português faz parte da programação da Casa da Cultura de Seia por várias ocasiões, mas sempre por altura do Carnaval. Este ano não foge à regra, e à semelhança do ano passado, o município associa-se à celebração do 2º aniversário do 7ª Sena - Núcleo Cinéfilo de Seia e partilha a organização deste pequeno ciclo.

E se no ano passado fizemos a Aventura das Mil e Uma Noites, este ano propomos Cinzento e Negro, de Luis Filipe Rocha e Na Toca do Lobo de Catarina Mourão.

Venham daí celebrar o cinema português connosco!

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Maria é traída por David, o marido, que rouba todo seu dinheiro e foge para ilha do Pico, nos Açores. Destroçada e com um enorme sentimento de humilhação, ela só anseia por vingança. É então que resolve contactar Lucas, um inspector de polícia, para encontrar pistas sobre o paradeiro do ex-companheiro. Porém, numa visita à ilha do Faial, Lucas apaixona-se por Marina, empregada no Peter Café Sport, situado no centro histórico da cidade da Horta. Este amor vai alterar o curso dos acontecimentos...

Realizador: Luís Filipe Rocha; Interpretes: Joana Bárcia, Filipe Duarte, Miguel Borges; Género: Drama, Thriller; Classificação: M/12; Outros dados: BRA/POR, Ano: 2015; Duração: 126 min.

Entrada Livre

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

O escritor Tomaz Xavier de Azevedo Cardoso de Figueiredo nasce em Braga, a 6 de Julho de 1902. Pouco depois, a família muda-se para a Casa de Casares, construída pelo seu avô materno em Arcos de Valdevez. Aos 12 anos vai para o Colégio dos Jesuítas, em La Guardia (Galiza, Espanha) e, em 1920, ingressa no Curso de Ciências Jurídicas, em Coimbra. Em 1930, já casado, vai para Tarouca como notário. Mais tarde passa pela Nazaré, Ponte da Barca e Estarreja. Durante a década de 1950, é-lhe diagnosticada doença psiquiátrica, que o obriga a internamento hospitalar. O seu romance "A Toca do Lobo", Prémio Eça de Queiroz em 1948, em que o escritor revive a sua infância e juventude, dá nome a este filme realizado por Catarina Mourão ("Desassossego", "À Flor da Pele", "Pelas Sombras"), sua neta. O que começou como um projecto de doutoramento na Universidade de Edimburgo (Escócia) transformou-se num documentário transgeracional sobre a sua própria família. O momento decisivo para a sua realização aconteceu com a descoberta de um programa de televisão nos arquivos da RTP sobre Tomaz de Figueiredo, que ela nunca conheceu mas que parece falar-lhe directamente. "Aí foi o momento em que eu disse: este filme tem de ser sobre o meu avô. Porque senti que, de uma forma quase fantasmagórica, ele me estava a convocar para fazer este filme. Na história, narrada na primeira pessoa pela realizadora, "passado, presente e futuro estão todos juntos ali como se fossem um só", resume. PÚBLICO

Realizador: Catarina Mourão: Género: Documentário: Classificação: M/12; Outros dados: POR; Ano: 2015; Duração: 102 min.

Entrada Livre

JANEIRO 2017

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

Ciclo de Cinema QUO VADIS?

Ano novo, vida nova? Em 2016, a Europa assistiu impotente à materialização de um conjunto de problemas que vinham já sendo evidentes: o agudizar de uma crise de refugiados sem fim à vista, o crescimento alarmante de movimentos totalitários e populistas, a banalização do terror extremista no coração da Europa, a estagnação económica - com o correspondente agravamento de assimetrias e de tensões sociais. No início do novo ano, o 7A SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia propõe uma reflexão profunda sobre o mundo, sobre a sociedade em que vivemos e da qual fazemos parte.
Para onde caminhamos afinal?

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Daniel Blake (59) trabalhou como marceneiro durante a maior parte da sua vida, em Newcastle. Agora, e pela primeira vez, precisa de ajuda do Estado. O seu caminho cruza-se com o de Katie, mãe solteira, e as suas duas crianças, Daisy e Dylan. Para escapar à vida numa residência para sem-abrigo em Londes, a única hipótese de Katie foi a de aceitar um apartamento numa cidade que ela desconhece, a 300 milhas de distância. Daniel e Katie encontram-se na terra de ninguém, apanhados pela burocracia da Segurança Social...

in http://www.midas-filmes.pt/

Realização: Ken Loach; Argumento: Paul Laverty; Produção: Rebecca O'Brien; Fotografia: Robbie Ryan; Montagem: Jonathan Morris; Música: George Fenton; Som: Ray Beckett; Decoração: Fergus Clegg, Linda Wilson; Guarda-roupa: Joanne Slater; Ano Produção: 2016; Duração: 100'; Género: Drama

Entrada Livre

CINEMA_ 7ª SENA - Núcleo Cinéfilo de Seia

CINETEATRO| CASA MUNICIPAL DA CULTURA

Samuele tem 12 anos e vive numa ilha do mar Mediterrâneo. Como muitos rapazes da sua idade, vai à escola e passa o tempo livre pela ilha a brincar com a sua fisga. À volta de Samuele existe mar e existem homens, mulheres e crianças que tentam atravessá-lo a partir de África em pequenos barcos sem as mínimas condições. A ilha onde Samuele vive é Lampedusa, uma fronteira simbólica da Europa, à qual tentam chegar milhares de migrantes que procuram liberdade e esperança. Os habitantes de Lampedusa testemunham diariamente uma das maiores tragédias humanitárias dos nossos tempos, apesar de estes dois mundos praticamente não se encontrarem.

in http://leopardofilmes.com/

Realização: Gianfranco Rosi; Argumento: Gianfranco Rosi; Montagem: Jacopo Quadri; Fotografia: Gianfranco Rosi; Design de som: Stefano Grosso; Ano Produção: 2016; Duração: 93'; Género: Documentário

Entrada Livre

topo